segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

AINDA HÁ ESPERANÇA

Por Valdeci do Carmo

Então Secanias, filho de Jeiel, um dos filhos de Elão, tomou a palavra e disse a Esdras: Nós temos transgredido contra o nosso Deus, e casamos com mulheres estrangeiras dentre os povos da terra, mas, no tocante a isto, ainda há esperança para Israel. Agora, pois, façamos aliança com o nosso Deus de que despediremos todas as mulheres, e os que delas são nascidos, conforme ao conselho do meu senhor, e dos que tremem ao mandado do nosso Deus; e faça-se conforme a lei. (Esdras 10.2-3)

A história narrada no livro de Esdras se passa quando o povo judeu havia voltado do cativeiro babilônico. Um grande culto de ensino da palavra foi realizado, e todo o povo atento ao que ea ensinado, tomaram uma decisão espontânea e radical, influenciados apenas pelo efeito da Palavra, nada de palavra de efeito ou jargão evangélico que já estão rotos no meio do povo.

Me propus a escrever este texto simples, porém objetivo. Quero extrair três coisas deste texto, Não irei me prender ao texto e seu contexto histórico.

1º- Ainda há esperança . Sei que muitos já perderam a esperança de que haja mudança no meio evangélico. Os que prezam pelo ensino genuino da Palavra vem sofrendo toda sorte de afrontas. Vituperam palavras esdrúxulas e ainda rotulam os que amam a Bíblia de Teólogos mortos, insensíveis dominados pela "letra". Apesar de ser ciente de tudo isso e muito mais, mesmo convivendo a muito tempo no meio de movimentos estranhos e inovadores eu ainda acredito que há esperança para aqueles que verdadeiramente buscam a Deus. Acedito que o Senhor irá levantar muitos que não continuarão dobrados em seus delitos.
É triste vermos tantas pessoas que para se darem bem usam dos mesmos artificios de engano que condenavam no passado. Fico a pensar em nossa Assembléia de Deus, cujo conselho de doutrina não tem passado de mera figura ilustrativa, pois não tem o poder de agir, podem combater, espernear e até mesmo falar, mas não há quem execute e não há ninguém com coragem de tomar uma decisão mais radical, pois uma posição radical sobre determinados modismos resultaria em muitos prejuízo. A geração que não conheceu a Deus de fato e nem o que a Bíblia ensina sobre esse Deus e sobre o plano traçado para a igreja continua sendo enganada a cada dia.

São muitos os que usam de engano para se darem bem, para se autopromoverem no meio do povo evangélico. Recentemente está em muito uso a ordem para que os crentes estiquem os braços com os dedos das mãos entrelaçados e quem não conseguir soltar os dedos após uma oração ou voz de comando precisa de uma oração especial, confessar pecado ou dar algum dinheiro pra "obra". é uma mercantilização daquilo que é sagrado. Mas no tocante a isso tudo eu creio que há esperança. Há esperança pra igreja, há esperança para o genuíno evangelho pois ele mesmo é que nos dá esperança. Almejo que um dia essas barbáries no seio da igreja acabe. Tenho esperança que os líderes se despertem para a verdade bíblica de que a nossa esperança não se consiste nesta vida e nem nas bênçãos terrenas, mas sim no que está escrito em colossenses 3.1-3. Tenho esperança de que ao lerem essas linhas não me julguem um desviado ou algo parecido. Enfim eu creio em meu redentor e nele eu me apego a cada dia.

2º A palavra de Deus foi ensinada. Não pode haver mudança na vida de niguém se a palavra não for ensinada...ensinar é um imperativo divino. Infelizmente a Bíblia tem sumido de nossos púlpitos dando lugar a tantos animadores de auditório e muitos aventureiros que se enveradam pelo ministério sem terem a devida orientação para o ofício. Os apóstolos não tinham outa preocupação a não ser de pregar a Palavra e conduzir almas a Cristo. O que mudou a vida dos remanescentes de judá foi a santa e preciosa palavra de Deus. A palavra precisa ter primazia em nossas vidas e em nosso ministério. A igreja necessita a cada culto ouvir a pura e genuína palavra.

3º Mudança de atitudes. O verdadeiro avivamento vindo através da palavra promove mudanças na vida do ouvinte. Quem realmente foi avivado pela Palavra, tem a sua vida transformada e uma nova atitude. É inconcebível vermos os avivamentos mecânicos que acontecem nos dias de hoje e crermos na idéia de que tudo provém de Deus. Não há mudança no caráter, no viver diário, em nada presenciamos mudanças que realmente denotem uma transformação oriunda da Palavra. O verdadeiro avivamento leva os envolvidos a desejarem uma vida mais santa, uma vida mais consagrada ao Senhor e um viver em humildade diante dos outros. Avivamento que traz apenas alvoroço recheado de palavras de efeito e autosugestionamento emocional e hipnótico não é avivamento. Lembrem-se sempre de ver os frutos que acompanham tais avivadores e avivados. Vejo tanta gente pulando, e caindo na unção do cai cai, unção do riso e das profecias e em nenhum momento mostra frutos de alguém que realmente está arrependido dos seus pecados. o que vejo nesses avivadores e avivados é um verdadeiro culto ao eu, um antropocentrismos desenfreado.
Termino acrescentando que o verdadeiro avivamento leva a mudanças de atitudes. Não há avivamento se não houver mudança na forma de viver.


4 comentários:

kennedy disse...

Paz meu irmão/amigo
Muito bom este texto. Mas esta dos dedos entrelaçados, foi pra acabar. Os limites foram transpostos.
Fique na paz.
Continuo sempre visitando seu blog.

Valdeci do Carmo disse...

vc ainda não viu nada...muita coisa vai aparecer..porque a Palvara de Deus está sendo deixada de lado e dando lugar a inovações e a um sistema legalista desenfreado.visite o blog do gutierrez

Valdeci do Carmo disse...

visitem tambem www.pesformosos.org é um site que fala sobre evengelismo entre universitários

Josiel Dias disse...

Olá meus irmãos, Graça e Paz.

Como foi bom conhecer este espaço, tão edificante pra nossas almas. Aprendendo uns com os outros crescemos na graça e no conhecimento. Gostaria também de compartilhar uma

"Mensagem Edificante para Alma"
http://josiel-dias.blogspot.com/


Josiel Dias
Cons Missionário
Congregacional
Rio de Janeiro